Marcas Pessoais que Brilham: Marta Mergulhão

Quando queremos ler histórias inspiradoras sobre pessoas de sucesso, geralmente são de pessoas famosas. Elas mostram-nos como ultrapassaram os obstáculos na vida e como a persistência e a resiliência as ajudaram para estar onde estão agora. E normalmente este local é ‘no topo’, com muita fama e dinheiro. Para dizer a verdade, não são estas histórias que me inspiram mais. Claro que admiro essas pessoas por terem conseguido aquilo que conquistaram, mas geralmente continuam pessoas distantes, longe da minha realidade.

Tenho um calendário que veio no início do ano com uma revista focada em mindfulness e ‘flow’, e todos os dias tem uma mensagem especial que me faz refletir um pouco. Recentemente a mensagem era: ‘Presta atenção a pessoas que, segundo tu, são felizes ou satisfeitas. Como estão na vida e como olham para o mundo? Como falam sobre as suas experiências? Transmitem gratidão?’

Desde esta mensagem comecei a prestar mais atenção às pessoas com quem estou mais em contato e comecei a observar porque gosto tanto da companhia delas. Percebi que isto tem claramente a ver com a energia, o positivismo e o foco que têm naquilo que é importante para elas. São elas que me inspiram, e são elas que me influenciam mais porque estão mais perto.

Uma destas pessoas é a minha professora de hidroginástica Marta Mergulhão (já ouço a minha amiga Susana rir, porque pensa que é só para velhotes e por isso digo-lhe sempre que vou à natação 😉). A Marta é uma pessoa que têm sempre um sorriso na cara, apoia qualquer pessoa que precisa e transmite sem grande esforço que está a trabalhar na paixão dela: pessoas e água! Queria saber melhor o que a move e como chegou onde está agora. Às vezes pensamos que só a partir de um determinado nível ou ordenado podemos sentir-nos felizes e livres, mas a Marta mostra que não é bem assim.

Partilho aqui a pequena entrevista que lhe fiz recentemente e quem sabe, talvez fique também inspirado por ela!

Marta, conta um pouco sobre ti e como tudo começou. Sempre sabias o que querias ser?

Sempre gostei da água e comecei cedo. Quando o médico disse à minha mãe que ia medir 1.80m (e acertou!), arranjou aulas de natação para mim e com 3 anos comecei a aprender a nadar! O ex-companheiro da minha mãe era professor de natação e com 16 anos decidi de dar aulas de natação também. Aos 18 anos comecei com hidroginástica e o hidrocare. Construímos uma escola de natação onde trabalhei dos 16 às 36 anos. Porém, infelizmente tivemos que passar a escola, pois não estava a correr bem. Mas nunca tive dúvidas que queria ser instrutora de atividades aquáticas.

Deve ter sido uma altura difícil para ti. O que fizeste então?

Foi difícil, sim. Perdi muito, mas descobri que quando caímos, depois sentimo-nos mais fortes. Fui ‘à caça’ e comecei a falar com pessoas e fazer substituições de professores, em sítios onde gostava de trabalhar. Encontrei vários locais, entre outros o Health club Visconde, que é agora o meu local principal e onde tenho toda a liberdade em desenvolver os meus programas. Além das aulas de grupo, trabalho com pessoas a nível individual no Visconde e também nas suas próprias piscinas. Acredito que o que nos acontece pode ser uma lição ou uma bênção, pois com as lições aprendemos, e se aprendemos são bênçãos. Então, tudo o que nos acontece na vida são bençãos!

Confesso que comecei a fazer hidroginástica não porque queria mas porque sofria de dores de coluna. Mas o facto de sempre ver-te bem disposta e com um bom ambiente na aula faz que vou com prazer para a tua aula. Vejo claramente que é a tua paixão. Qual é o teu segredo para estares sempre sorridente e motivada?

Quando estou a dar aulas parece que esqueço tudo. Estou focada em vocês, gosto de estar com as pessoas. Não sei quem faz melhor a quem! Acredito muito em energias, no potencial que a energia pode dar-nos. Gosto do que faço e faço com amor e gratidão. O mar, as pessoas, tudo o que nos rodeia, é energia.

É verdade, quando saio da piscina, sinto-me energizada. Mesmo depois de uma noite mal dormida, quando faço hidroginástica de manhã, o meu dia rende muito mais.

Água e um bom condutor de energia. Na água pode-se fazer natação, hidro, entre outras atividades que ajudam melhorar a aptidão física, proporcionando uma melhor qualidade de vida. O conforto que a água nos dá não se vê nas outras atividades, na minha opinião. Todas as atividades na água tornam-nos mais leves na vida, é só estar! A pressão que a água faz sobre o corpo dá a sensação de estarmos a receber um abraço, um abraço de conforto. E há muitas pessoas que não recebem abraços há muito tempo. Água é vida!

Hidroginástica é só para velhos?

Não é, mas infelizmente a hidroginástica não está bem divulgada. Adapto os exercícios consoante as pessoas que tenho na aula. Hoje em dia vejo cada vez mais pessoas com idades avançadas (60+) com mais energia do que jovens com 15/16 anos! A hidroginástica treina a força, a resistência, a flexibilidade, desenvolve a capacidade cardiorrespiratória, etc. Além disso, trabalha-se a parte cognitiva e isto é importante para retardar doenças do foro psicológico. De qualquer forma, a água funciona como um ‘lençol’, a água envolve-nos. Não interessa se és gordo, magro, baixo ou alto, porque na água ninguém repara. Na água, o aspeto físico não importa, somos todos iguais!

Contaste-me outro dia que tinhas pressa porque trabalhas como voluntária nas instituições no concelho de Cascais. Isto é importante para ti?

Sempre gostei de dar e quando uma amiga me perguntou se queria ajudar, não hesitei. Gosto de ajudar, e temos que saber pedir ajuda, o que nem sempre é fácil. Acredito que é importante criar consciência na ‘reciclagem’ de dar & receber.

O que fazes para continuar a desenvolver-te dentro da tua profissão?

Estou dentro da minha zona de conforto quando estou dentro da água. Agora estou a fazer um curso de pilates e estou a aprender teoria e técnicas fora da minha zona de conforto. Estou consciente que isto me faz crescer e já estou a pensar como posso aplicar o aprendido dentro da água!

Para finalizar, queres acrescentar mais alguma coisa?

O meu trabalho é de facto uma das minhas paixões. Se só trabalha para pagar as contas, vai realmente só trabalhar para pagar as contas, e para sentirmo-nos bem em tudo o que fazemos, temos que olhar para o trabalho como algo que nos torna melhores e felizes. Temos que pôr-nos em primeiro lugar. Se estamos bem, podemos ajudar melhor o outro e vice versa. Às vezes é importante parar e ver o que se pode fazer diferente, de forma a melhorar as nossas capacidades ou ajudar a melhorar as capacidades do outro. Tento que eu e o que me rodeia esteja bem e em conformidade com a natureza. Mas ainda há muito que aprender!

 Para quem quer saber mais sobre as aula da Marta, contate-a por mail martamergulhao@yahoo.com ou por telefone: 968 086 181!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *