Marca pessoal: Qual é o seu ‘Sweet Spot’​?

Esta é uma altura em que muitas pessoas reavaliam a sua situação profissional e tencionam fazer alguma mudança, seja dentro ou fora da sua área de trabalho. Para que esta avaliação seja o mais completo possível, é importante ter alguns aspetos em consideração.

O diagrama Venn de Jim Collins, explicado no seu livro Good to Great, é uma ferramenta muito útil nesta análise e pede para responder a três perguntas:

• O que faz bem? Quais são os seus talentos e como os pode comprovar?

• O que quer fazer? Quais são as suas paixões e gosta de o fazer horas seguidas?

• O que procura o mercado? Como pode fazer dinheiro com isso?

Por vezes parece que nada o distingue dos outros, pois é provável que tenha um curso semelhante e experiências semelhantes. Mas há sempre um aspeto que o diferencia e não precisa de ser uma diferença grande. Pode ser a sua paixão por algo, um desporto num nível avançado ou algo que faz como hobby e que pode ser relevante para um determinado tipo de mercado. Pode ser um talento que tenha, uma experiência no estrangeiro ou uma atividade que fez durante o seu curso que mostra um interesse específico e que mostra que teve coragem de dar esse passo. Além disso, você é você e com base na sua personalidade, gostos e habilidades, há sempre pessoas que têm preferência pela sua maneira de ser, a sua forma de comunicar e relacionar-se com os outros.

A maior parte das pessoas tem medo de ser diferente dos outros, mas ser igual aos outros só diminui as nossas hipóteses de ter sucesso. Desde a escola básica somos formatados para o mesmo produto final e o único critério de avaliação, o critério que mede o sucesso, parecem ser as notas altas. Porém, se esta é a nossa única preocupação, não teremos nada que nos distinga dos outros quando formos à procura de um emprego. Como William Arruda, um dos especialistas do marketing pessoal mais conhecidos, já dizia: «No marketing pessoal não se trata de ser famoso; trata- se de ser famoso de forma seletiva. Significa saber quem deve conhecê- lo e estar sempre visível para eles.» 

Pode repetir esta análise todos os anos para avaliar se continua a trabalhar no seu sweet spot, ou seja, na sua essência, naquilo que combina as suas paixões, habilidades e necessidades dos mercados da melhor forma para si. Como Steve Jobs dizia: ‘Your work is going to fill a large part of your life, and the only way to be truly satisfied is to do what you believe is great work. And the only way to do great work is to love what you do. If you haven’t found it yet, keep looking and don’t settle.’

Bom ano!

Manon Rosenboom Alves

Managing Director Reinvent Yourself

manon.alves@reinventyourself.pt | 964481443

www.reinventyourself.pt

Fonte: Livro Marca Pessoal, SA – Como Comunicar, Agir e Vestir a sua Marca Pessoal para ter mais Sucesso – Manon Rosenboom Alves (Editora RH)

https://www.editorarh.pt/pt/livro/99/marca-pessoal-sa-como-comunicar-agir-e-vestir-a-sua-marca-pessoal-para-ter-mais-sucesso-(2-edio)

2 thoughts on “Marca pessoal: Qual é o seu ‘Sweet Spot’​?”

  1. Gostei Manon
    O que acontece é que, muitas das vezes, são as empresas que têm que descobrir onde se encaixa melhor o trabalhador.
    Obrigado
    Luis

    1. Olá Luís,

      Diríamos que para reter o talento, é essencial que seja um trabalho feito em parceria com o colaborador. A nova geração é menos ‘estática’ em termos de profissão, pelo que é um trabalho que requer uma avaliação contínua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *